terça-feira, 30 de novembro de 2010

A árvore

Ó árvore, quantos séculos levaste
a aprender a lição que hoje me dizes:
o equilíbrio, das flores às raízes,
sugerindo harmonia onde há contraste?

Como consegues evitar que uma haste
e outra se batam, pondo cicatrizes
inúteis sobre os membros infelizes?
Quando as folhas e os frutos comungaste?

Quantos séculos, árvore, de estudos
e experiências – que o vigor consomem
entre vigílias e cismares mudos –

demoraste aprendendo o teu exemplo,
no sossego da selva armada em templo,
E dize-me: há esperança para o Homem?


...................
CAMPOS, Geir. "A árvore". In: CAMPOS, Paulo Mendes (org.) Forma e expressão do soneto. Rio de Janeiro: Ministério da Educação e Saúde, 1952.

.

Nenhum comentário:

Postar um comentário