segunda-feira, 25 de agosto de 2014

A edição n.9 do caderno-revista 7faces está on-line!



Esta não é apenas uma edição. São várias. São vozes diversas agregadas em torno de um uníssono tom. Por vezes diversas conseguirão essa unidade. Mas, se desregram. Igualmente diversas vezes. E aí talvez esteja, de fato, a unidade.

É uma edição, por isso, das mais ambiciosas nesses quase cinco anos do periódico. Sai da unidade interna – a poesia terá local (?) – e busca entre tantas vozes a voz que se levanta para desengessar o poema. Allen Ginsberg. O Beat-Poeta. O Poeta. Sobre ele, Claudio Willer, Sandra Erickson e Paulo Rafael se desdobram para dizer o nome e a obra. Dele, Evaldo Gondim se desdobra para fazer-nos compreender em outra língua o que Ginsberg compreendia sobre si e a obra. Dele, recolhem-se faces. Vestidas e nuas. Escritas e imaginadas. Ginsberg está em toda parte. Até nos versos ainda por conhecer ou conhecer de outra maneira. Cesar Kiraly se desdobra em trazê-lo ao português. Inédito. Mas ainda só uma amostra. Mais, o leitor terá acesso mais tarde. Quando o caderno desdobrar-se em catálogo. É boa essa coisa do work in progress.

Costuram esses retalhos três cadernos de poesia. Brasileiros: Vivian de Moraes. Noemi Jaffe. Ricardo Domeneck. Espanhol: Pedro Sevylla de Juana. Brasileiros de novo: Mariana Laje. Cleyson Gomes. Davi Kinski. Francisco Hutz. Danilo Augusto. Rebeca Rasel. Português: Luiz Felipe Marinheiro. E a arte de Falves Silva. Um dos pioneiros entre o balancê das Vanguardas no Brasil.

Um modo de conhecer-se. O poeta diante de si. O poeta diante os poetas. Os poetas diante de si. Os poetas diante do poeta. O poeta e poetas diante dos leitores. Os leitores diante do poeta e dos poetas. Um exercício de multifaces. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário